Especial: A Sala de Troféus | Lara Croft BR
#TombRaider25 Notícias

Especial: A Sala de Troféus

Artigo na íntegra traduzido e adaptado do site.

No fim de toda jornada – depois que amizades são forjadas ou desfeitas, armadilhas desarmadas, inimigos derrotados e tumbas saqueadas – há um item. Uma relíquia. Um artefato.

As aventuras de Lara Croft são centralizadas em mitos e estes tesouros são manifestações destes mitos. A prova física de que rituais esquecidos, culturas ou até mesmo mundos, existiram.

Frequentemente estes itens são perigosos demais para serem expostos à humanidade e, por isso, eles acabam sendo armazenados com segurança na sala de troféus da Mansão Croft. Aqui estão algumas das principais bugigangas das maiores aventuras de Lara Croft.

  • Scion de Atlântida: O artefato que Natla desafiou Lara a recuperar no Tomb Raider original, o Scion, foi criado por um triunvirato de comandantes atlantianos: Qualopec, Tihocan e Natla. Separado em três peças, ele representa sua liderança conjunta ao governar Atlântida. Poderosa fonte de poder, o Scion era o gerador da Grande Pirâmide, produzindo a energia necessária para criar um exército de atlantianos dentro de suas incubadoras. Natla usou o Scion para seus próprios experimentos genéticos e, quando ela foi descoberta, Tihocan e Qualoped a condenaram ao aprisionamento e esconderam o seu fragmento. Os dois foram enterrados com seus fragmentos restantes. No confronto final com Natla, Lara atira no Scion, quebrando-o em pedaços.
  • Adaga de Xian: A Adaga de Xian era o principal artefato que Lara buscava em Tomb Raider II, usado por um brutal imperador para ganhar vantagem sobre seus inimigos há muito tempo. De acordo com a lenda, se você penetrar a adaga em seu coração você será transformado em um dragão. O imperador governou até que um monge se aproveitou do caos do campo de batalha. Rastejando sob o dragão, o monge retirou a adaga e encerrou o reinado do imperador. Os monges esconderam a adaga no Templo de Xian, na Grande Muralha da China. Enquanto Marco Bartoli colocou suas mãos na adaga e provou sua fé enfiando a adaga em seu coração, Lara o derrotou mesmo em sua forma de dragão.
  • Artefatos de Meteoritos: Mais uma vez, sem conhecimento, contratada por alguém com más intenções, Lara está atrás de quatro artefatos de meteoritos em Tomb Raider III. Os objetos foram esculpidos por polinésios a partir de um meteorito que caiu na Antártica há muito tempo. Estes objetos foram abandonados na Antártida até serem encontrados por marinheiros do HMS Beagle, em 1834. Eles retornaram à Londres e levaram os objetos para locais distintos. Cada peça individual do artefato dava ao portador um poder único e, quando montados em seu local de origem, eles possuíam poderes evolucionários.
    • A Pedra Infada: Encontrada na Índia, possui os poderes de levitação e projéteis de fogo.
    • Olho de Isis: Este artefato acabou nas mãos de Sophia Leigh, que o integrou no seu regime de beleza com a finalidade de parar o processo de envelhecimento. Ele também permite ao portador que dispare raios de energia.
    • Elemento 115: Encontrado na Área 51 de Nevada, o Elemento 115 não possui poder definido, visto que não foi usado contra Lara em batalha.
    • Adaga Ora: Recuperado no Pacífico Sul, a adaga estava nas mãos de uma tribo canibal e dava ao portador o poder de conjurar feras e orbes de energia.

Um quinto artefato, chamado de Mão de Rathmore, foi revelado em Tomb Raider III: The Lost Artifact.

  • Íris: No nível de treinamento de ‘The Last Revelation’, Lara e Werner Von Croy disputam uma corrida para recuperar a Íris em um teste de habilidades. Werner chega antes e monta uma armadilha. Lara consegue escapar com vida, assumindo que Von Croy havia morrido. Werner sobrevive e leva a Íris consigo, mantendo-a na Von Croy Industries, local onde Lara a recupera em um momento posterior.
  • Amuleto de Hórus: A causa de muita desolação em The Last Revelation, O Amuleto de Hórus era mais que uma peça bonita. O ankh dourado foi criado elo deus Hórus e seu sumo sacerdote, Semerket, para aprisionar o maligno Set para sempre. Lara o descobriu no Egito e o removeu do seu local, liberando Set durante o processo.
  • A Armadura de Hórus: Nem tudo está perdido, no entanto. Lara descobriu que ela poderia chamar Hórus para batalhar com Set ao rastrear as cinco peças da armadura divina. Set interveio e interrompeu antes o que Hórus pudesse ser completamente convocado. No fim, Lara encontrou um alçapão dentro do templo e conseguiu fecha-lo com o ankh, aprisionando Set dentro dele mais uma vez.
  • Iris: A Íris retornou em Chronicles e jogadores tiveram uma visão adicional sobre os seus poderes. Lara invade a Von Croy Industries para recuperá-la, usando-a como uma fonte de poder para se tele transportar de uma sala para a outra. Parecia que Von Croy ainda estava realizando pesquisas com o artefato. A pesquisa foi interrompida quando a Íris apareceu na sala de troféus de Lara em Tomb Raider III, indicando que ela a roubou com sucesso.
  • Pedra Filosofal: Em um conto recontado, Lara viaja para Roma em busca do artefato definitivo dos alquimistas, a Pedra Filosofal. A pedra estava escondida atrás do Philosopher’s Gate, que poderia ser desbloqueado com uma série de outras pedras chamadas de Mercúrio, Saturno, Marte e Vênus. Como dizem os rumores sobre a pedra real, ela transformava metais em ouro puro, então era compreensível a proteção extra que recebia de gárgulas e uma variedade de gladiadores inimigos.
  • Lança do Destino: A lança que “quando empunhada na vanguarda de um exército, tornaria o exército invencível”. Lara viaja para a Rússia para encontrá-la, onde havia rumores acerca da localização sob as ruínas de um submarino alemão. Lara a recupera, apenas para ser forçada a entrega-la para o gangster russo, Sergei Mikhailov. No entanto, os poderes da lança eram imprevisíveis e ela fez com que o submarino afundasse. Sem testemunhas, Lara deixa a lança no fundo do oceano sem ser recuperada.
  • Bestiário: Um dos primeiros achados de Lara, o Bestiário é um livro com conhecimento arcano. Uma vez que você confronta um demônio do Bestiário com seu verdadeiro nome, você tem o controle do demônio em si. O Bestiário salva Lara e o Padre Bram de um fim terrível, quando ela nomeia o demônio Verdilet e ordena que ele desapareça para sempre.
  • O Sanglyph: No coração de Angel of Darkness está o Sanglyph, um artefato criado pelo alquimista das trevas, Eckdardt, para ajudá-lo a reviver a raça Nephilim. O Sanglyph requer uma luva especial para manuseá-lo por conta de seu imenso poder. Para evitar que ele seja capturado enquanto se prepara para trazer o Nephilim de volta, Eckhardt separa o Sanglyph em cinco peças e as esconde nas Pinturas Obscuras.
  • Luva de Eckhardt: Essa luva especial é necessária para manusear o Sanglyph, mas também tem seus próprios poderes, como visto nas mortes d’O Monstrum.
  • Pinturas Obscuras: A única direção que Lara teve na morte de Von Croy é rastrear as cinco Pinturas Obscuras. Elas foram criadas por Pieter Van Eckhardt para esconder as peças do Sanglyph, cada uma delas com representando uma entidade maligna. Pintadas por cima com imagens religiosas pelo Irmão Obscura do Lux Veritatis, elas foram escondidas para mantê-las fora das mãos de Eckhardt.
  • As Gravuras Obscuras: Cinco cópias das Pinturas Obscuras originais foram criadas, cada uma delas servindo como um mapa da localização original.
  • Fragmentos Periapt: Estas armas místicas foram usadas pela Lux Veritatis para prender Pieter Van Eckhardt por séculos e também são a única coisa pode matar um Nephilim. Lara encontra uma delas no Louvre, deixada por Kurtis Trent. Ele não saiu de mãos abanando, no entanto, indo embora com sua Pintura Obscura. Precisando trabalhar juntos, eles eventualmente coletam todos os três fragmentos, usados para matar Eckhardt.
  • Excalibur: Tentando entender o que aconteceu com sua mãe depois do acidente no Himalaia, Lara lembra ter visto uma espada e, eventualmente, percebe que estava ligada à lenda do Rei Arthur, da espada e da pedra. Rutland escapa da Bolívia com a primeira peça da Excalibur, mas Lara a recupera em Gana. Ela pega a segunda peça de Shogo Takamoto, em Tóquio, a terceira no Cazaquistão e a peça final na Cornualha, no coração da verdadeira tumba do Rei Arthur. Quando combinada, a espada abriu o portal para o misterioso mundo de Avalon. Os fragmentos também concediam poder, incluindo levitação e regeneração de vida.
  • A Chave Ghalali: A peça final do quebra-cabeça, a Chave Ghalali, necessária para remontar a espada. Uma peça ornamental que o pai de Lara encontrou em Ghana e deu à Amélia como presente. Ela estava usando no dia em que o avião se acidentou e Lara retornou aos escombros para recuperá-la.
  • Scion de Atlântida: Em Anniversary, o Scion retornou como o artefato no centro da história, mas Natla expandiu ainda mais seus poderes. Ela alega que o usará para implementar a “Sétima Era” e implica que o usou previamente para liberar o exército de Atlântida contra si, apagando o local da história. Ela também indicou o Scion como armazenador de “todo o conhecimento dos antigos” e que ele poderia “criar qualquer coisa que desejasse”. Através de registros de áudio, o pai de Lara acredita que o Scion pode oferecer uma luz sobre o que aconteceu com Amélia.

  • Luvas de Thor: Em Tomb Raider Underworld, Lara começa a ligar os pontos entre o mito de Avalon e outras culturas antigas. Ela viaja ao Mediterrâneo, descobrindo ligações com a mitologia Nórdica e a primeira das Luvas de Thor. Enquanto trabalha para localizar o outro par, ela descobre que seu pai o encontrou há muitas décadas, mas a escondeu sob a Mansão Croft a fim de mantê-lo longe de Natla. Quando ambos são coletados, o jogador pode mover objetos pesados adornados com glifos especiais.
  • O Cinto de Thor: Para dar poder às luvas, Lara precisava recuperar o Megingjord, o cinto de Thor, no qual ela encontrou no Sul do México. Protegido por thralls no submundo Maia, Xibalba, a localização do cinto contribuiu para sua teoria de um monomito conectando muitas grandes e antigas civilizações.
  • Martelo de Thor: A última peça do quebra-cabeça era Mjolnir, o martelo de Thor. Posicionado como a arma chave contra a serpente Midgard na batalha de Ragnarok. Lara descobre o martelo de Thor na Noruega e pretende usá-lo para acessar Helheim, na esperança de encontrar sua mãe. Em combate, o martelo de Thor cria raios de energia poderosos, arremessando inimigos para o alto.
  • Yamatai: No reboot de 2013, Lara buscou pela verdade mais do que um artefato específico. Apesar de toda a preparação e intensa pesquisa, ela ainda foi surpreendida quando o Endurance bateu contra a bem verídica costa de Yamatai, uma ilha apenas fabulosa até então. Enquanto explora Yamatai, ela encontra relíquias da história recente e antiga, finalmente tropeçando na tumba da Rainha do Sol Himiko. Foi nesse momento que ela começou a compreender a origem do mito que envolvia a ilha em segredo.

  • O Atlas: Depois dos eventos de Yamatai, Lara buscou uma compreensão mais profunda da alma, o que a levou a investigar a cidade perdida de Kitej. Seguindo as menções sobre um profeta imortal e algo chamado de “a fonte divina”, Lara viaja para a Síria e eventualmente para a Sibéria. Ao descobrir uma vila dos Remanescentes dos peregrinos do profeta, ela ouve rumores sobre um objeto chamado de O Atlas, supostamente o mapa para a cidade perdida de Kitej. Recuperar o mapa é o passo final para entrar na cidade perdida, mas uma organização clandestina, a Trindade, está atrás dela e entrar na cidade foi a parte fácil.

  • A Chave de Chak Chel: Shadow viu Lara e Jonah abrindo caminho pela América Central e do Sul, rastreando a Trindade para entender e, por fim, parar o seu plano. Em vez disso, Lara acidentalmente coloca em curso o apocalipse Maia. Ops. O contador do Juízo Final começa depois que ela pega a Chave de Chak Chel, uma antiga adaga obsidiana que leva o nome de uma deusa Maia. O líder da Trindade, Amaru, retira dela a adaga pouco antes de uma grande inundação – o primeiro de quatro cataclismas desencadeados pela adaga. Ele pretende parar a “purificação” e recriar o mundo à sua imagem ideal.
  • A Caixa Prateada de Ix Chel: Por sorte, Lara vislumbrou o suficiente da tumba e a adaga para prosseguir para o Peru. Lá, Lara descobre a próspera e lendária cidade de Paititi e se alia à sua líder para parar a Trindade. Como as chaves normalmente fazem, Lara descobre que a adaga possuía uma contraparte – a Caixa Prateada de Ix Chel. Unir a chave e a caixa irá parar o fim do mundo. Com a ajuda de Jonah e dos residentes de Paititi, Lara encontra a caixa, confronta Amaru e faz um sacrifício muito pessoal para proteger o mundo.

Sobre o autor

Rui C. Camisão

Administrador e redator. Mora em Florianópolis e é formado em Comunicação pela Estácio Florianópolis.
Seus jogos favoritos são Tomb Raider, Assassin's Creed e Sonic.
PSN ID: iWho-E/Steam: Who-E